quarta-feira, 11 de maio de 2011

Dom Quixote - Engenheiros do Hawaii

Composição: Humberto Gessinger / Paulo Gauvão


Muito prazer, meu nome é otário
Vindo de outros tempos mas sempre no horário
Peixe fora d'água, borboletas no aquário
Muito prazer, meu nome é otário
Na ponta dos cascos e fora do páreo
Puro sangue, puxando carroça.

Um prazer cada vez mais raro
Aerodinâmica num tanque de guerra,
Vaidades que a terra um dia há de comer.
"Ás" de Espadas fora do baralho
Grandes negócios, pequeno empresário.

Muito prazer me chamam de otário
Por amor às causas perdidas.

Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Tudo bem, seja o que for
Seja por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas.

Tudo bem... Até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Muito prazer... Ao seu dispor
Se for por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas.

--

Para mim, esta música mostra uma realidade que vivemos no Brasil, onde a exclusão social reprime mentes geniais de mostrar seu potencial.

A música ao se referir à luta de Dom Quixote contra os dragões (na realidade, moinho de ventos), me faz refletir que nem sempre o problema que temos que enfrentar é complicado. Tudo depende de criarmos coragem para lutarmos contra nossos “monstros” .

E você, concorda comigo?

Sim? Não?

Comenta aí, queremos saber sua opinião!

2 comentários:

  1. Gostei muito da música, Daya!
    Sua reflexão sobre ela me fez lembrar de um pensamento que li num livro de Stephen Covey, sobre uma interpretação de um pensamento de Einstein: "Os problemas com os quais nos deparamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos, quando eles foram propostos".
    Acho que tem tudo a ver.

    ResponderExcluir
  2. Essa, e muitas outras músicas do Engenheiros me serviram de inspiração para escrever...muito boa postagem! :D

    ResponderExcluir